Agile NÃO é para preguiçosos

Mais um belo post, retirado do blog Visão Ágil, muito bem escrito por Manoel Pimentel. Agile traz muitos avanços em um projeto, mas tudo isso tem um preço. Para seguir qualquer metodologia ágil é preciso dedicação e cumprir a risca os detalhes, para que seja uma adoção e vivência de sucesso. Abaixo o conteúdo integral:

Após alguns bons anos de adoção e evangelização de Agile, tenho orgulho em dizer que tenho pouquíssimas certezas sobre o tema (pois a magia é inspecionar e adaptar o conhecimento continuamente). Porém, uma dessas poucas certezas é: Se você for preguiçoso,  FUJA das metodologias ágeis.

É serio, se você for preguiçoso não se dará bem numa equipe ágil, pois primeiro entenda que Agile é muito mais do que processos leves, pois atua fortemente como filosofia ou modo de pensar e agir, dessa forma você terá um desafio enorme em adotar os valores e princípios ágeis dessa filosofia, devido ao fato que os mesmos estimulam uma mudança cultural muito grande numa organização, assim eu posso falar tranquilamente que não é nem um pouco fácil conduzir esse processo de mudança de paradigmas dentro uma empresa (inclusive às vezes sinto uma inveja danada de quem implementa processos que não requerem mudanças culturais).

Outra dimensão é no que tange à equipe, pois conforme já expliquei no artigo “Vencendo o Estado de Negação na Sprint Retrospective”, devido a várias características comuns a natureza humana, é muito difícil fazer parte de um projeto ágil, pois devido aos ciclos curtos, feedbacks constantes, comunicação mais simples, ambientes informativos através do Kanbans (quadro de atividades), compartilhamento de responsabilidades e de resultados, as forças e as fraquezas de cada indivíduo se tornam transparentes durante todo o projeto; E essa visibilidade toda assusta muita gente, principalmente por não haver gorduras, longos prazos, artefatos pesados para esconder os hábitos nocivos (como a Síndrome do Estudante e a Lei de Parkinson) de uma equipe.

Um grande exemplo disso é o planejamento, pois como eu sempre digo, se você não gosta de planejar, também não vai se adaptar bem com Agile, pois em Agilidade, nós planejamos muito (mas muito mesmo), porém claro, que é um planejamento diferente, pois ele é de alto nível no início e posteriormente realizado várias vezes em intervalos menores (iterações) durante o projeto todo (em vários níveis, mensal, semanal e diário), ou seja, se você tem preguiça de planejar, FUJA de Agile.

Em Agile testamos, verificamos e validamos em pedaços e ciclos menores muitas vezes durante um projeto. Dessa forma, se você não gosta da verdade que esse tipo de atividade proporciona para a qualidade de seu trabalho e seu produto, você simplesmente terá grandes barreiras ao usar Agile, pois isso implicará na necessidade de dar uma atenção maior a qualidade do que está sendo desenvolvido, portanto, se você tiver preguiça de fazer isso, FUJA de Agile.

Como nossas fraquezas estão visíveis no dia-a-dia de um projeto ágil, torna-se necessário e factível melhorarmos continuamente a cada ciclo do projeto, porém descobrir e implementar esses pontos de melhoria requer um grande senso de humildade e coragem, o que é extremamente difícil desenvolver numa equipe que não esteja comprometida com o sucesso de um produto, ou seja, se você tiver preguiça de melhorar continuamente, FUJA de Agile.

Outro ponto que destaco como sendo de suma importância, é a confiança, que deve ser desenvolvida em todos os sentidos e de maneira multidimensional (equipe, clientes e todos os evolvidos num projeto) para garantir e manter questões como auto-organização, pouca documentação, contrato de escopo variável e principalmente que o maior valor de um produto será entregue de maneira antecipada durante o projeto; Dessa forma, se você tiver preguiça e medo de construir essa confiança, FUJA de Agile.

Entretanto talvez uma das poucas qualidades preguiçosas que uma equipe ágil deva ter, é o senso preguiçoso para não desenvolver funcionalidades que não agregam valor, que não sejam direcionadas aos problemas de hoje do projeto (simplicidade), que correspondam à meta de entrega e que sejam desenvolvidas num ritmo sustentável de trabalho durante o projeto todo, portanto, talvez esse seja realmente o único “senso preguiçoso” que devemos cultivar numa equipe Ágil.

Para finalizar observe que Agile é capaz de trazer benefícios excepcionais para sua empresa, porém note com essa breve visão desse texto, que Agile não é para todo mundo e requer muita disposição para melhorar a forma de trabalho no desenvolvimento de software, mas claro, que há outras questões igualmente complexas que realmente evidenciam a idéia de que simplesmente: “Agilidade não é para preguiçosos”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: