HTC Evo 4G – Uma análise rápida…

Pessoal,

Ontem estive no 4º Bate Papo do SP-GTUG (confiram o post de divulgação no Globalcoders, escrito por mim…rs) onde os assuntos principais foram Java no Google App Engine (@rafanunes) e as novidades do Google I/O 2010 (@robsondantas). Em breve irei escrever sobre o evento (estou aguardando a liberação das apresentações dos palestrantes e mais fotos).

Mas, se não vou falar sobre o encontro agora vou falar sobre o que? Vou falar sobre Android, um dos meus atuais temas preferidos de pesquisa e discussão!

Ontem tive a oportunidade de analisar nas minhas próprias mãos o celular mais poderoso do momento com a plataforma Android: o HTC Evo 4G. O Robson Dantas, palestrante de ontem e que teve a oportunidade de participar do Google I/O teve a grata surpresa de ganhar o aparelho como cortesia da operadora americana Sprint, que fez uma parceria com o Google para o evento.

Junto com o HTC Evo ele ganhou o Google Nexus One, já prometido como parte dos “brindes” da inscrição/participação. Nada mal para um evento de 400 “doletas” (INVEJA ON) 😉

Abaixo vou colocar algumas observações acerca do aparelho, que impressiona mesmo…

Review

Não vou escrever um review completo do aparelho, pois muitos outros existem e existirão. Apesar do aparelho só ser lançado no dia 04 de Junho de 2010 (e eu já ter feito  parte de uma minoria que já analisou o aparelho antes de muita gente…rsrs), eu indico 3 referências para aqueles que queiram ver mais a fundo o que esse “monstro” pode fazer:

Há informação suficiente sobre o assunto e muito detalhada. Deleitem-se!

Vantagens e Desvantagens

Abaixo os pontos relevantes levantados por mim, acerca do que pude ver/analisar em cerca de 15~20 minutos com o aparelho em mãos.

Vantagens

  • O aparelho É RÁPIDO! 🙂
  • O aparelho É MUITO RÁPIDO! 🙂 🙂
  • O chip SnapDragon de 1Ghz + 512Mb de RAM fazem MUITA diferença na performance do aparelho. Imagine rodando a versão 2.2 do Android (vem com a versão 2.1)…
  • A tela de 4.3′ tem uma definição de cores e resolução das imagens excelente;
  • A interface HTC Sense trouxe boas impressões: é mais legal e bonita que a interface do “Android cru” (Non HTC Sense, MotoBlur, SonyEricsson UX e similares);
  • Tem mais áreas de trabalho nativas (no Evo são 7 áreas de trabalho, contra 3/5 da interface do “Android cru”);
  • Saída HDMI para ver vídeo em alta resolução na sua TV (!);
  • O aparelho reproduz vídeo em até 720p de qualidade (máximo valor que os vídeos do youtube permitem executar);
  • Tem uma “perna retrátil” que pode colocar o Evo em posição de porta retrato, facilitando a visualização de vídeos;

Desvantagens

  • Só funciona na rede WiMax/4G americana (não temos essa tecnologia por aqui ainda…);
  • É CDMA, portanto não vai funcionar no Brasil 😦 Quem sabe não saia em breve uma versão GSM…
  • Eu achei grande as dimensões do aparelho, apesar de não ser tão pesado;
  • É preciso usar alguma vestimenta que tenha um bolso de no mínimo 15×10 cm. (alturaxlargura) para carregá-lo com conforto…

Fotos e Vídeos

Disponibilizo aqui algumas fotos e vídeos que fiz com o meu “humilde” HTC Magic (Android 1.6 e câmera de 3.2 megapixels). Agora toda vez que olho pra ele tenho uma ponta de desdém…rs.

HTC EVO 4G é forte candidato ao título de melhor telefone celular

4º Bate Papo do SP-GTUG – Globalcode

Finalizando…

Esse aparelho é muito bom mesmo (tirando o tamanho…)! Ele vem pra ser o melhor modelo de Android do mercado, juntamente/rivalizando com o seu “irmão menor” (somente no tamanho) HTC Incredible. Se você me perguntasse qual modelo eu adquiriria eu diria que um Google Nexus One, pelas facilidades de desbloqueio, hacks disponíveis e preço do aparelho, além da real atualização para a versão 2.2 que os aparelhos vem recebendo.

O Robson infelizmente já vendeu o Nexus que ele trouxe do I/O, e que eu estava de olho 😦 😦 😦 😦  Mas oportunidades não faltarão 🙂

É isso aí! Espero que vocês tenham gostado desse review bem simples do aparelho, que por ora não está aqui no Brasil em versão GSM.

Até mais e aguardo opiniões, comentários, dúvidas e sugestões!

Anúncios

12 Respostas

  1. Boa análise!

    Eu não posso falar muito a respeito desse “monstro”, uma vez que ainda prefiro o meu ultra-moderno Motorola w320 hehehe (e incrível… ele faz ligação rs e não tenho medo de derrubar ele no chão e nem de ser roubado)

    Realmente é impressionante a evolução do mercado de telefonia móvel, até as operadoras evoluíram 😛

    Uma pena que o Brasil ainda está atrás e uma beleza dessa não possa ser usada em terras canarinhas. 😦

    Abraços!

    • @Douglas

      Obrigado pelo complemento da informação do Youtube…

      @Fabricio

      Obrigado pela leitura e divulgação do post.

      Ainda sobre a evolução do mercado de telefonia móvel tenha certeza: se você compra um aparelho de celular hoje daqui a 6 meses ele estará “fora de linha” infelizmente…

      Viva aos W320 e aos A52!

  2. Complementando: o YouTube apresenta alguns videos em 1080p. Mas esses em 1080p tem versao em 720p, entao o Evo deve pegar a 720.

    Abraços

  3. Entao 😉

    Nao pude deixar de comentar aqui… sou um cara de SW 🙂 tive um motorola milestone que meu filho acabou perdendo… mas era super bugado (2.0), comprei um htc hero usado 1ano 528mhz 128mb ram, andei passeando pelas roms da vida e vou te dizer… o SW realemten faz a diferenca… o htc hero que originalmente vem com 1.5 voou usando o cooked de 2.1 Sense… Resumindo… o grande apelo do android que vc nao fica preso ao aparelho e sim qual versao que voce esta usando… claro que processador memoria e tudo mais influencia, mas estamos em um ponto onde a fragmentacao do android é tao gritante que o mercado esta dividido em 3 androids

    1) O puro…
    2) Sense-ui
    3) Motoblur

    e dai nascem os genericos… ja tem 2.2. (froyo) com Sense-ui 😉 e comecam alguns problemas de execucao de aplicativos… um velho conhecido.. 😉

    Bem… parbens pelo artigo!

    Dimas.

    • Obrigado pela leitura e comentário no blog aqui Dimas!

      Concordo com você: o software realmente faz diferença. Nem todas as versões de Android são “zero bala”, isso eu tenho que concordar: umas são mais “problemáticas” que as outras, mas isso é aplicável para versões antigas (1.5 e 1.6 principalmente).

      O avanço do SO foi considerável e o refactory feito na versão 2.2 (reescrita da Dalvik) mostra que era pra ser considerável mesmo a melhoria. E tem muito a avançar, acredito eu.

      Eu mesmo uso o HTC Magic com a versão 1.6 e tenho alguns problemas de lentidão com a Home, um bug que foi resolvido na versão 2.0 se não me engano.

      Mas para essas coisas nada como o bom Cyanogen para salvar. Ele sempre resolve e lança cooked rom’s com os bugs corrigidos das versões …rs. Opções para usar uma boa ROM do Android não faltam…

      Sobre a fragmentação:

      * Ponto número 1

      O problema está nas versões mais antigas e na burocracia que as operadoras tem para liberar versões mais novas. Tenho a versão 1.6 desde que comprei meu aparelho (DEZ/2009). Só agora que a T-Mobile pensa em lançar o update para a versão 2.2.

      * Ponto número 2:

      A divisão de versões de Android hoje está praticamente entre a 1.5, 1.6 e 2.1.
      Ou seja, o disparo na venda de novos dispositivos Android com versões mais atuais (2.1 e acredito que a 2.2 irá revolucionar de vez…) deu uma “alavancada” nessa porcentagem , que era bem mais fragmentada.

      No futuro o panorama de uso de versões “mais problemáticas” vai cair, com certeza. Droid X , Samsung S, HTC EVO e outras máquinas possantes vão virar a mesa.

      * Ponto número 3:

      O mercado precisa de dispositivos de baixo custo para a parcela de população menos abastada? Claro que sim! E se é possível lançar uma versão 2.2 para o meu HTC Magic ou para o seu Hero, acho que ela cabe tranquilamente para um Quench, por exemplo. Mas aí a gente cai no ponto número 1: Motoblur + 1.5 é loser total…

      * Ponto número 4:

      As interfaces (Motoblur, Sense, etc.) acredito que são o de menos na fragmentação: o problema é a versão do firmware (vide ponto 4). o X10 vem com 1.6 e sem previsão de atualização (!).

      * Ponto número 5:

      E no caso de desenvolvimento de aplicativos é mais indicado usar sempre a versão mais compatível com a maioria dos devices (1.5 ou 1.6), caso o seu aplicativo não vá usar multitouch ou outras features presentes em SDK’s mais avançados.

      Espero não ter me estendido muito na resposta…rs.

      Sinta-se a vontade para comentar por aqui!

  4. Eh 😉 Fragmentacao é um velho conhecido meu…

    1) No caso de mobiles mais acessiveis as roms tem inumeras variacoes… as vezes por aparelho, no caso do hero somente na versao 2.1 tenho 14 variacoes, e elas vao de mudancas cosmeticas a ausencias de api’s

    2) o problema as “interfaces” é que os developers tendem a codificar para elas, existem api’s basicas e as extendidas 😉 tivemos varios problemas quando os developers comecaram a “extnder” as JVM delas… quebrando a compatibilidade, vc fazia um jogo que nao rodava em outro cel, pq aquele fabricante tinha criado api’s especificas para aquele aparelho a “moto” sofreu na pele com o motoblur do 1.5 para o 2.1 (foi um parto)

    3) Quando o “dalvik” tenho minhas interpretacoes pessoais sobre o “tuning” que foi feito…

    A definicao de fragmentacao nao é a variedade de OS ou caracteristicas, é quando as “customizacoes” nao sao substituiveis ou que vc possa “emular” ou recodificar… Exemplo 1.5 e 1.6 foram (DOA), agora imagine vc vai fazer algo para facebook ou twt um widget, vc codifica de um jeito para motoblur (que tem mais apis) depois para htc sense ui e outro para o android puro.

    Meu ponto é … as cooked roms com alteracoes de conteudos e aplciativos tudo bem 🙂 o prblema é quando vc tem alteracoes n mesma linha que varia muito de aparelho pasra aparelho…

    Eu comprei um htc touch e nao um motorola, pq prefiro um sense UI mais do que o motoblur, agora a samsung e a LG estao fazendo o mesmo, no interior DEVERIA ser o mesmo… mas para o usuario final nao é 😉

    isso sem falar de os android de “baixo custo” existem uns que estao a venda na china por 70usd com 1.5 mas nao tem 3g 😉

    bem estes sao meus comentarios no que posso comentar 😉

    parabens pelo blog e continue nos informando com o que eu acho interessante 😉

    • Valeu pelo complemento dos comentários: agora o post está mais “rico” em informações!

      Você colocou realmente um ponto pertinente: o da criação/adaptação/alteração/inclusão de API’s das fabricantes. No caso da Motorola eles tem um ambiente de desenvolvimento deles, com API’s específicas para a interface Android. É uma verdade mesmo…

      Sobre os Androids de $70, não são só aparelhos “xing-ling”, mas tablets que também não tem 3G, mas WiFi…e são totalmente aplicáveis a soluções de inclusão digital e implantação nas redes de ensino, no lugar do “one laptop per child”.

      Depois fale sobre as suas impressões pessoais sobre o tuning da Dalvik 🙂

  5. Cara tenho um N900 e gosto pra caramba, estou babando por esse HTC EVO mais segundo o seu comentario devo aguardar ate que seja lançada uma versão GSM que possamos usar obrigado por seu comentario.

  6. Oi, gostei muito da sua analise e queria saber sua franca opiniao, estou nos EUA e volto Sabado, encontrei um lugar que o cara me vende um EVO desbloqueado em apenas 300 dolares mas se ele nao funciona no Brasil nem adianta, minha operadora é Vivo.
    O Iphone desbloqueado aqui custa 1000 dolares, achei muito caro e tem outra, nao gosto de Iphone, atualmente tenho um Omnia 2 mas esta travando toda hora e quero troca-lo, o que voce sugere? Lembrando que a loja que encontrei desbloqueia qualquer aparelho… De antemao te agradeço!!

    • Diego,

      O EVO não adianta trazer de modo algum, pois ele só funciona para as redes 4G, que só existem nos EUA. A mesma coisa funciona para o Droid X (somente vendido em versão CDMA pela Verizon).

      O Iphone não vale a pena mesmo, pelo custo e restrições da plataforma.

      Eu sugiro dois modelos: o HTC Desire (adquiri e estou esperando chegar ;)) ou o Samsung Galaxy S. O Desire é o mais parrudo e com mais RAM, além de ter suporte a várias cooked roms. O Samsung S é o melhor em termos de foto, vídeo (grava HD 720p) e jogos.

      A escolha fica a seu gosto. Preferi o Desire por ser o mais equilibrado e completo (tem 3.7′ de tela) . O Samsung S é bom em processamento de audioe vídeo (tem 4′ de tela).

      Qualquer coisa manda email, GTalk ou twitter e a gente troca uma idéia 😉

      Até mais e boa compra!

  7. Gostei muito do esclarecimento e abordagem dos temas, apesar de ter pouco conhecimento técnico e de causa mesmo assim gosto de ler pra me interar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: