Cartão de referência: Melhores práticas com JDBC

Cartão de referência acerca das melhores práticas com JDBC, disponível para download pelo excelente site Refcardz.

Façam o download abaixo!

Anúncios

CURSOS-SÃO PAULO-SP – Primeiro Ensina aí! Cursos Grátis

Pessoal,

Aqui na empresa, vamos iniciar uma sequência de cursos, que dentro do possível serão abertos a pessoas de fora também.

A idéia inicial é que os colaboradores da empresa (ensinadores) que tem conhecimento sobre determinada área/assunto compartilhe esse conhecimento.

Demos o nome a esta sequência de cursos de ENSINA AÍ!

Alguns cursos ainda não tiveram data confirmada. Mas se você deseja participar de um destes, informe que contatamos quando a data estiver certa.

Quem quiser participar ou dar algum curso é só falar (via e-mail: ensinaai@voicetechnology.com.br) .

Segue abaixo, maiores informações sobre o primeiro ENSINA AÍ!.

Primeiro Ensina aí! Cursos Grátis

Pessoal,

No banner principal do blog Ensinar,  desde sua criação consta a frase “Compartilhando Conhecimento”. E é isto que temos tentado humildemente fazer nos últimos tempos. E é justamente para dar mais um passo neste caminho, iremos fazer nos meses de julho e agosto, o primeiro Ensina aí!

O Ensina aí! é uma sequência de cursos e palestras feitas por amigos e funcionários da Voice Technology. O público destinado é qualquer pessoa que deseje participar. O calendário de cursos do Ensina aí! ainda está em fase final de preparação.

Todos os cursos estão relacionados a algum conhecimento que é utilizado na empresa.

O professor, é alguém da nossa empresa que conheça e trabalhe com o assunto abordado. Como não somos professores / instrutores profissionais, chamaremos de “Ensinadores”…

Os cursos já confirmados são:

1. Scrum: Gerenciando e planejando projetos de software (10 horas).

Descrição: abordar os conceitos do Scrum, sua utilização e alguns pequenos exemplos práticos.

Público-Alvo: interessados em metodologias ágeis e projetos de software.

Data: 20, 21 e 22 de julho. Das 19:00 às 22:30

Ensinador: André Pantalião


2. Introdução ao Teste de Software: uma abordagem prática (10 horas).

Descrição: aborda os conceitos básicos do teste de software utilizando exemplos práticos para ilustrá-los. Não é só teoria!

Público-Alvo: interessados em teste de software e iniciantes na área.

Data: 27, 28 e 29 de julho. Das 19:00 às 22:30

Ensinador: Fabrício Campos


3. Linux (10 horas) – Assuntos da certificação LPIC-1 (Prova 101)

Descrição: Abordar os assuntos da prova de certificação LPIC-1 (Prova 101).

Público-Alvo: interessados em Linux e certificação LPIC-1 (Prova 101)

Data: a ser confirmada, em setembro.

Ensinador: Adelson Junior



4. Oracle 11G – Fundamentos de SQL I (10 horas)

Descrição: Conteúdo do curso baseado na primeira prova da certifica ção para OCA-DBA.

Público-Alvo: usuários de banco de dados, sejam eles desenvolvedores, testadores, etc.

Data: a ser confirmada

Ensinador: Fabrício Campos

5. VoIP (8 horas)

Descrição: abordar conceitos básicos, componentes e arquitetura de soluções Voz sobre IP.

Público-Alvo: interessados em telefonia e Voz sobre IP

Data: a ser confirmada

Ensinador: Antonio Anderson


6. Utilizando Maven com Java (8 horas)

Descrição: mostrar a utilização do Maven, desde sua instalação até exemplos práticos.

Público-Alvo: programadores Java.

Data: a ser confirmada, em setembro.

Ensinador: Marcos Hack

Ainda colocaremos mais palestras e cursos, se quiser participar de algum curso ou dar uma palestra.

Quer participar do Ensina aí? Mande e-mail para ensinaai@voicetechnology.com.br.

Segue abaixo, informações sobre o local do cursos:

Voice Technology
Rua Líbero Badaró, 293 – cj. 30 A
Centro – São Paulo

Sun lança o MySQL 5.4

Notícia retirada do site Linux Magazine Online:

A Sun Microsystems anunciou hoje o lançamento do MySQL 5.4, nova versão do banco de dados de código aberto mais popular do mundo, projetado para oferecer melhorias significativas de desempenho e escalabilidade para aplicações.

Logo Sun+MySQL

O MySQL 5.4 inclui melhorias de desempenho e escalabilidade e permite que dispositivos de armazenamento InnoDB sejam expandidos para servidores x86 de até 16 processadores ou CMT (arquitetura chip multi-threading da Sun) com até 64 processadores, mais do que o dobro da capacidade anterior. O software também inclui, segundo o anúncio, otimizações de subqueries e tempo de resposta 90% melhor para certas consultas no banco de dados, além de novos algoritmos que aprimoram o funcionamento em cluster, avanços nas stored procedures e um melhor suporte à poderosa ferramenta DTrace dos sistemas Solaris e OpenSolaris.

De acordo com Eramir Fernandes, líder da prática de Softwares da Sun Microsystems do Brasil, o MySQL 5.4 “é mais adequado para expandir as implementações de sistemas SMP, em que mais de um processador compartilha o processamento de tarefas”.

A versão preview do MySQL 5.4 Community Edition já está disponível no site do MySQL.

8 Boas Práticas Para Melhorar a Escalabilidade

Artigo traduzido, e retirado do InfoQ, voltado a análise de arquitetura, performance e escalabilidade de soluções, com ênfase em banco de dados. .

Wille Faler propõe 8 boas práticas para melhorar desempenho e escalabilidade como diminuir a carga no banco de dados, usar cache, minimizar tráfego na rede, entre outros.

1. Diminua a carga do banco de dados – fique longe do banco de dados o máximo que puder. Isso significa não abrir conexões ou iniciar transações a menos que seja realmente necessário.

2. A diferença que o uso de cache faz – cache diminui significativamente a carga em banco de dados, especialmente em aplicações que somente lêem desse banco. Cache em memória é melhor que cache em disco, que é melhor que um banco de dados relacional ou remoto.

3. Use cache em objetos de baixa granularidade – usar cache em objetos pouco granulares “economiza ciclos de CPU e tempo necessário para consultar n zonas de cache, ao invés de uma somente. Além disso, retornando o grafo do objeto completo economiza tempo ao montar o grafo do objeto.

4. Não armazene estado temporário em memória permanente – evite armazenar dados temporários como dados de sessão para um login em um banco de dados.

O “monstro do estado temporário” é uma besta perigosa. Como regra geral, somente dados de negócio reais, necessários, críticos e prontos para processamento devem ser armazenados de forma permanente (banco de dados, disco); nada mais.

5. Localização, Localização – deixe as coisas perto de onde elas devem ser fornecidas. Em vez de utilizar um balanceador de carga, um servidor web, um servidor de aplicação e um banco de dados, lembre-se que é melhor utilizar um balanceador de carga e um servidor web; e obter parte do conteúdo de uma Rede de Fornecimento de Conteúdo (CDN).

6. Restrinja acesso simultâneo a recursos – se mais de uma requisição acessa o mesmo recurso e executa o mesmo cálculo, é melhor que somente a primeira requisição faça o cálculo até o fim, e as demais requisições somente utilizem o resultado final. Permitir que todas as threads acessem o recurso somente tornará o processo mais lento.

7. Processamento assíncrono e em etapas

Algo que costuma fazer maravilhas para escalabilidade e desempenho é separar um processo de forma que seja assíncrono, dividido em etapas separadas por filas e executadas por um número limitado de threads em cada etapa.

8. Diminua a comunicação na rede – tente fazer com que sua aplicação se comunique o mínimo possível através da rede, pois é um processo muito mais lento do que comunicação em memória.

Steve M. Ciske, comentando sobre o post do Faler, é cauteloso em relação a reduzir a carga do banco de dados:

Eu tomaria cuidado ao diminuir a carga do banco de dados. Já vi pessoas no outro extremo que colocam tudo na camada de aplicação.

Pawel Stradomski considera cache remoto em memória mais rápido do que cache local em disco e Faler concorda com ele:

O uso de cache em um host remoto (via rede) pode ser mais rápido que o uso de cache em um disco local. A leitura dados sequenciais em um disco é por volta de três vezes mais lenta que a leitura na memória de hosts remotos; isso desconsiderando o tempo de busca.

Fonte relacionada: Simon Brown escreveu um artigo sobre princípios de escalabilidade.