Revista Espírito Livre número 18 disponível para download

Caros leitores,

Está disponível para download a edição de número 18 da revista Espírito Livre.

Os tópicos mais interessantes dessa edição são:

  • Entrevista frente a frente com Linus Torvalds, criador do Linux, o popular kernel que habita em diversos de nossos computadores. Ele esbanjou simpatia em uma longa entrevista durante a LinuxCon, em São Paulo;
  • Ricardo Ogliari faz uma análise do pinguim nos dispositivos móveis, mais especificamente nos celulares;
  • Rodrigo Carvalho foca o seu uso no Android, o sistema operacional baseado em Linux, que vem se popularizando rapidamente entre as empresas que produzem aparelhos de celular e seus respectivos usuários, que por diversas vezes, se apresentam como fãs da plataforma;
  • Jomar Silva faz uma pergunta interessante sobre os usuários linux: “Quem não usa Linux?”, afinal muitos usam sem saber!
  • Alexandre Oliva avalia pontos polêmicos que envolvem o este famoso kernel e levanta várias questões que merecem ser analisadas;
  • Marco Passos destaca a dificuldade de coordenar projetos colaborativos;
  • Jamerson Tiossi afirma que o usuário doméstico é a fronteira final quanto a adoção do software livre no desktop;
  • André Déo e Aécio Pires descrevem como gerenciar redes com o Zabbix e prometem continuar com outros artigos a respeito;
  • Alexandre A. Borba levanta questões de reflexão sobre a recente criação da suite LibreOffice.

Interessado? Então clique na imagem acima e faça o download!

Boa leitura a todos!

Primeiro sistema operacional 100% livre de erros está pronto

Será que caminhamos para um novo rumo de realidade tecnológica? Aguardemos as novidades sobre o assunto… Retirado do site Inovação Tecnológica.

Primeiro sistema operacional 100% livre de erros está pronto

Gráficos de funções do kernel do sistema operacional livres de erros. Cada ponto representa uma função escrita em linguagem C. As conexões representam as chamadas entre as diversas funções. [Imagem: UNSW]

Inovação radical em software

Programas de computador representam o melhor exemplo de um produto que usufrui de inovações tecnológicas contínuas – daquelas que não chamam muito a atenção e geralmente não viram manchete, mas que estão melhorando continuamente os aplicativos, incorporando novas funcionalidades e atendendo às novas necessidades dos usuários.

Mas será que é possível que os programas de computador experimentem também inovações tecnológicas disruptivas – daquelas radicais, que viram manchete e mudam o caminho de uma determinada área?

Certamente que sim. A criação dos protocolos de comunicação que viabilizaram a Internet, sistemas operacionais com interfaces gráficas, o primeiro navegador de páginas web, protocolos da computação distribuída, todos são exemplos que tecnologias que mudaram o rumo da informática.

Software 100% livre de erros

É muito possível que estejamos agora frente a mais uma inovação nessa categoria de revolucionária na área de software.

Pesquisadores australianos relataram que, pela primeira vez, conseguiram provar com rigor matemático que o núcleo principal de um sistema operacional – tecnicamente conhecido como kernel – está 100% livre de erros de programação (bugs).

Isto significa que a parte principal do sistema operacional não estará sujeito a falhas, travamentos e nem a ataques que explorem falhas de segurança, que simplesmente não existem.

Mundo completamente novo

O avanço deverá ter implicações diretas no funcionamento e na segurança de computadores que controlam equipamentos que devem apresentar altíssima confiabilidade, como aparelhagens médicas de exames e cirurgias robotizadas, sistemas aeroespaciais e servidores de informática de missão crítica.

“Eu acredito que não é um exagero afirmar que nosso sistema abre um mundo completamente novo no que diz respeito à construção de novos sistemas altamente confiáveis e seguros,” diz o Dr. Gernot Heiser, coordenador da equipe que desenvolveu a nova técnica.

Não se trata apenas de uma verificação intensiva do código contra erros específicos. O sistema de verificação garante que o kernel atende inteiramente a toda a sua especificação, não se desviando dela em todos os aspectos, incluindo a funcionalidade e a segurança

Software livre de erros

Uma regra no mundo do software – não-científica, mas largamente citada – é que há 10 bugs para cada mil linhas de código de um programa. Programas mais maduros e mantidos por grandes equipes certamente têm menos, mas nenhum engenheiro ou programador em bom juízo se arriscaria a dizer que seu sistema é 100% livre de erros.

Isto mostra o significado do feito alcançado pelos pesquisadores australianos, comprovando matematicamente a correção de um kernel desenvolvido em linguagem C por uma equipe de seis pessoas ao longo de seis anos.

Esta é a primeira vez que se demonstra de forma conclusiva que é possível construir programas de computador totalmente livres de erros.

A correção do programa também significa que ele está imune a todos os tipos mais comuns de ataques, como os chamados buffer overflows, um forma de ataque na qual os hackers tomam controle dos programas injetando pequenas porções de código malicioso.

Sistema operacional embarcado

O usuário de computadores tradicionais deverá esperar um pouco antes de poder usufruir do acréscimo de segurança e confiabilidade oferecido por um sistema operacional livre de erros.

O kernel 100% correto pertence a um sistema operacional do tipo embarcado (embedded system), que roda em computadores dedicados a tarefas específicas.

A nova técnica de verificação, contudo, poderá ser utilizada no desenvolvimento de qualquer outro programa, seja um sistema operacional ou outro aplicativo qualquer.

Linux, primeiro a suportar USB 3.0 (!)

Boa notícia para os usuários do sistema, extraída do site Notícias Linux. Leia abaixo:

O kernel Linux, portanto as distribuições GNU/Linux, serão as primeiras a oferecer suporte aos dispositivos USB 3.0, após um ano e meio de trabalho de Sarah Sharp, funcionária da Intel e hacker do Linux kernel. Se tudo correr como previsto, os usuários do Linux contarão com suporte a USB 3.0 em torno de setembre de 2009. Sharp indica que está trabalhando para assegurar-se de que as distribuições mais populares, como Ubuntu e Red Hat, incorporem o driver xHCI, ainda que o usuários avançados sempre poderão compilar seu próprio kernel em uma distribuição padrão.

http://sarah.thesharps.us/2009-06-09-13-30.cherry
http://www.linux-magazine.com/[…]/news/first_driver_for_usb_3_0

Fonte: http://barrapunto.com/articles/09/06/09/218258.shtml