Linux : 18 anos de vida

Ontem (26-08-09) o Linux completou 18 anos de vida (!). Abaixo deixo uma singela homenagem, com um texto de Linus Torvalds a respeito do assunto. Uso linux a quase 1 ano e meio e não me arrependo, pelo contrário, foi uma das melhores mudanças ocorridas em termos de uso de tecnologia por mim 🙂

Retirado do site Comunidade Linux.

Parece que foi ontem, 25 de agosto de 1991, o dia em que o estudante finlandês Linus Benedict Torvalds escreveu no grupo de notícias comp.os.minix uma humilde mensagem anunciando ao mundo o seu projeto de um sistema operacional para computadores pessoais; um SO que mudaria (e continua mudando) os rumos da informática acadêmica mundial.

Abaixo você lê a mensagem de Torvalds (tradução livre):

Olá pessoal que usa Minix.

Estou criando um sistema operacional (livre) (por puro hobby, não será tão grande nem profissional como GNU) para PCs AT 386(486). Estou trabalhando nisso desde abril e já começa a ficar pronto. Gostaria de receber comentários sobre o que vocês gostam/detestam no Minix, já que meu SO se parece um pouco (mesma disposição física do sistema de arquivos -por motivos práticos- entre outras coisas).

Até agora tenho portado o bash(1.08) e gcc(1.40), e parecem funcionar. Isto significa dizer que terei algo funcional dentro de alguns meses e gostaria de saber que características gostariam de encontrar. Qualquer sugestão é bem-vinda, mas não posso prometer que coloque todas em prática

Linus Benedict Torvalds

PD. Sim – é livre de código Minix, e tem um sistema de arquivos multi-tarefa. Não é portável (usa a comutação de tarefas do 386, etc.), e provavelmente nunca funcionará em outra coisa que não sejam os discos rígidos AT, porque é tudo o que tenho

Apesar da primeira divulgação publica do projeto de Torvalds ter sido publicada em 25 de Agosto, somente em 5 de Outubro desse mesmo ano foi lançada a primeira versão publica do sistema operacional.

Parabéns Linux, e obrigado Linus Torvalds!!!

Anúncios

Revista Espírito Livre – número 5

Está disponível para download a edição número 5 da Revista Espírito Livre.Eis a capa abaixo:

Revista Espírito Livre - Ed. #005 - Agosto 2009

Os tópicos são:

  • Entrevista com Clement Lefebvre, criador do Linux Mint, uma distribuição Linux baseada no Ubuntu;
  • [GNU] Linux no desktop;
  • Emulação do DOS no Linux;
  • PHPBoleto;
  • Aspectos jurídicos sobre Spam;
  • Google App Engine;
  • Como trabalhar com JSP, Ajax e Servlet (Hailton David Lemos, do grupo GoJava).

Faça o download clicando no link.

Boa leitura!

Formatar. Qual sistema escolher? Linux ou Windows

Artigo retirado do blog LEO3G, e que achei bastante interessante em termos de abordagem e aceitação dos sistemas baseados em GNU/Linux. Apreciem o texto abaixo:

A maioria dos usuários que tentam migrar para outros sistemas além do Windows sentem uma grande diferença de plataforma.
Buscam ansiosamente por uma plataforma gráfica parecida com a do sistema anterior para não desistir tão cedo ou então por receio de não achar tão fácil a migração. Alguns fazem o certo. Usam os livecds e se gostarem, instalam em sua máquina por completo ou em DualBoot.
Agora me pergunto o porquê desse medo?
Simples. A própria imagem negativa que o sistema GNU/Linux levou perante o começo de sua história.
Todos os viram como sistema para nerds ou para profissionais do ramo e na sua totalidade não o são. Devemos perceber que isso está mudando e agora o mundo da TI começa despertar para o sistema que tantos rejeitavam e que agora entendem o porque de várias pessoas dizerem a mesma frase: – Estou migrando para o sistema de código aberto.
Mudando de cenário. Há muitos usuários que tiveram o seu primeiro contato com a informática com sistema operacional GNU/Linux. Não preciso falar de vários projetos de inclusão digital espalhado pelo Brasil, mas porque rejeitavam esse sistema operacional? Deve haver algum problema.
Então digo que há , mas não com o sistema e sim com a própria imagem relacionada ao sistema de código aberto. Falta investir em marketing para reverter essa taxa de rejeição. Devem ter mais congressos, palestras e mais investimento governamental. Muitas faculdades usam, mas não vejo muita divulgação.
Existem vários eventos acontecendo, os quem sabem são assinantes de newsletters sobre o assunto ou porque fazem parte da própria comunidade.
Vocês já viram algum outdoor dizendo que haverá palestra sobre Software livre e instalação gratuita de sistema operacional?
As feiras de software livre estão acontecendo, mas ainda a parte de marketing está sendo esquecida.
Uma boa sacada de marketing foi na Campus Party onde vi que os aplicativos open source tiveram o seu lugar seja em palestras ou em competições.
A maior taxa de rejeição se faz presente quando o usuário do Windows tenta igualar a plataforma com seus programas e ferramentas com o sistema GNU/LINUX. Não veem que também pode aprender a usar outro sistema operacional e assim aumentando o seu conhecimento na área da tecnologia. Simplesmente se não for Windows não presta.
O sistema GNU/Linux não é Windows. O usuário de sistema de código aberto faz com louvor muitas atividades que um usuário Windows fariam, mas mesmo assim não é Windows.
Outra coisa que mancha a imagem do GNU/Linux são as montadoras de computadores que colocam um sistema aberto como uma imitação barata do Windows e ainda por cima defasada. Posso citar a CCE onde boa parte dos notebooks ou desktops vêm com o sistema operacional com a versão defasada do seu Satux 1.5 (já saiu a versão 1.7) com sua plataforma gráfica KDE como se fosse o Windows. Deixo claro que não estou falando mau do KDE onde por muito tempo usei e recomendo, mas critico a mentalidade dos desenvolvedores que elaboram um sistema como se fosse o Windows. Falta um pouco de criatividade.
Dias atrás um cliente veio com um notebook CCE Win com Satux para formatar e colocar o Windows XP, mas fiquei surpreso que o cliente queria deixar os dois sistema, pois achou o Satux bonitinho. Respondi de imediato que não tinha Windows e se colasse seria um Windows pirata e afirmei que não o faria. Com os olhos arregalados o cliente disse: – Como você não tem o Windows?
Expliquei sobre a licença do Windows e que a mesma custaria R$ 400,00.
O cliente pensou que eu estava cobrando o valor da licença pelo serviço e então esclareci que era do sistema operacional, mas disse que tinha uma solução que serviria e ainda por cima era de graça.
Ele disse: – De graça? Respondi. De graça. Só vou te cobrar pela formatação e pelo suporte.
Ele Gostou da ideia e quis o meu serviço.
Dias atrás ele ligou e falou que o sistema é fácil de usar, mas não estava conseguindo instalar alguns programas e que de vez enquando tinha problemas com o hotmail. Então deu uma prévia sobre os pacotes da distribuição e sobre o “cartel Microsoft”. Ele entendeu e falei que têm o Gmail e funciona muito bem com o Firefox.